Lavagem Laparoscópica é viável e segura para o tratamento de diverticulite perfurada com peritonite purulenta: Os primeiros resultados da Trial Randomizado e Controlado DILALA. Annals of Surgery. Volume 00, Number 00, 2014.

Post Author Corrections: December 8, 2014.

 

Foram publicados os primeiros resultados do estudo multicêntrico randomizado e controlado, DILALA (ISRCTN82208287), onde a Lavagem laparoscópica foi comparado com ressecção do cólon e estoma para o tratamento de pacientes apresentando diverticulite aguda Hinchey III (diverticulite perfurada com peritonite purulenta).

 

Este trabalho foi concebido como um estudo prospectivo, randomizado, controlado

trial (1:1) sendo a lavagem laparoscópica comparada com a cirurgia de Hartmann por via aberta. Participaram do estudo nove departamentos cirúrgicos na Suécia e Dinamarca, de

Fevereiro de 2010 a fevereiro de 2014. 

De acordo com o protocolo do estudo, foi realizada lavagem laparoscópica de todos os 4 quadrantes, com o uso de solução salina, 3 litros ou mais, na temperatura corporal, até saída por aspiração de fluido com coloração claras. Já pacientes randomizados para o grupo procedimento de Hartmann, o realizaram de modo convencional, através de uma incisão mediana.

 

Todos os espécimes foram submetidos a exame de patologia. Um dreno passivo foi colocada na pélvis em todos os pacientes, permanecendo no local por pelo menos 24 horas. Ambos grupos foram tratados no pós-operatório de acordo com as rotinas locais em relação ao tratamento antibiótico, profilaxia para trombose e retorno à alimentação por via oral. Pacientes portadores de câncer ou de outros diagnósticos se não diverticulite diverticulite (feito no intra-operatório ou durante o acompanhamento), foram excluídos do estudo.

 

Os resultados iniciais publicados se referem aos desfechos morbidade, readmissões, reoperações e mortalidade. Futuramente, os autores deverão relatar os resultados do desfecho primário esperado para o estudo, reoperações dentro de 12 meses de pós-operatório, estando na presente data tais pacientes sendo acompanhados em coorte até definição do tempo de follow-up.

 

O estudo incluiu 139 pacientes, após laparoscopia diagnóstica, 83 pacientes foram randomizados. Após exclusões, haviam 39 pacientes no grupo lavagem laparoscópica e 36 pacientes no aberto Hartmann. Os pacientes operados por lavagem laparoscópica passaram tempo significativamente menor (mediana

4 horas) na unidade de recuperação em comparação com o grupo do Hartmann (mediana de 6 horas; P <0,05). Lavagem laparoscópica resultou em menor

internação (média de 6 dias) em comparação com o grupo do Hartmann (mediana de 9 dias; P <0,05), mas teve significativamente maior período de

drenagem abdominal (mediana 3 vs 2 dias; P <0,05). A Mortalidade em 30 dias (3/39 vs 0/36) e 90 dias (3/39 vs 4/36) não diferiu significativamente entre os grupos. Não houve estatísticamente diferenças entre os dois grupos em relação a re-operações e complicações (estratificadas de acordo com a cliassificação de Clavien-Dindo).

 

Segundo os autores, os resultados iniciais apresentados podem ter implicações generalizadas na clínica diária, no tocante ao tratamento de pacientes com diverticulite complicada. Os resultados a longo prazo do presente ensaio, juntamente com os resultados dos outros estudos randomizados apoiam a segurança das lavagens  por via laparoscópica no tratamento de pacientes apresentando Diverticulite Aguda Hichey III, de modo a evitar a ressecção do cólon e estoma, as quais carream a curto e longo prazo, bem conhecidas complicações. 

 

Annals of Surgery. Volume 00, Number 00, 2014. 

Estudo completo em formato PDF.

OPEN ACCESS

 

© copyright 2014 | Alberto Bicudo Salomao 

Todos os direitos reservados

SUBIR