INSTRUMENTAL BÁSICO E TÉCNICA DE SUTURA SEPARADA

COM USO DO PONTO SIMPLES & NÓS CIRÚRGICOS.

 

 

ESTAÇÃO PRÁTICA #1

Prof. Alberto Bicudo Salomão

 

 

 

OBJETIVOS:

 

  • RECONHECIMENTO DO INSTRUMENTAL CIRURGICO BÁSICO (NOME DOS INSTRUMENTOS) E GESTUAL BÁSICO

  • DEMONSTRAÇÃO DO MANUSEIO DOS INSTRUMENTOS (COMO PASSAR E COMO RECEBER O INSTRUMENTAL EM CAMPO OPERATÓRIO)

  • DAR NOÇÕES DE CUIDADOS COM PREVENÇÃO DE ACIDENTES EM CAMPO OPERATÓRIO

  • APRENDER MANUSEAR O INSTRUMENTAL BÁSICO PARA REALIZAÇÃO DE SUTURAS

  • DEMONSTRAR TÉCNICA DE SUTURA COM PONTOS SIMPLES  

 

MATERIAIS NECESSÁRIOS:

 

  • FIO DE SUTURA COM AGULHA  TRIANGULAR  (CORTANTE) DE NYLON (PREFERENCIALMENTE NYLON, NA FALTA PODE SER DE OUTRO MATERIAL)  2.0 OU 3. 0  (05 UNIDADES)

  • KIT DE SUTURA: LAMINA DE BISTURI (01 UNIDADE), TESOURA RETA, PORTA-AGULHA, PINÇA DENTE DE RATO

  • INSTRUMENTAL OPERATÓRIO PARA DEMONSTRAÇÃO: 

    • ​Cabo e lâmina de bisturí

    • Tesoura Metzenbaum

    • Tesoura Reta (“de fio”) e/ ou Tesoura de Mayo

    • Tesoura Iris

    • Tesoura Spencer

    • Tesoura Lister

    • Pinça Kelly

    • Pinça Kelly reta

    • Pinça Crile

    • Pinça Moynihan

    • Pinça Longette

    • Pinça Mixter

    • Pinça Rochester

    • Pinça Halsted Curvo (Mosquito)

    • Pinça Halsted Reto (Reparo)

    • Clamps Vasculares / Bulldog (Dieffenbach)

    • Pinça de Cushing sem dente (Anatômica)

    • Pinça de Cushing com dente (Dente de rato)

    • Pinça de Hadson sem dente

    • Pinça de Hadson com dente

    • Porta Agulha de Mayo-Hegar

    • Pinça Babycock

    • Pinça Allis

    • Pinça Collin Oval e Coração

    • Pinça Foerster

    • Pinça Duval

    • Clamp Intestinal

    • Pinça Kocher

    • Pinça Backhaus

    • Pinça Cheron

    • Afastador de Farabeuf

    • Afastador de Doyen

    • Afastador de Volkman

    • Afastador de Deaver

    • Lâmina Maleável

    • Afastador Supra-púbico (Válvula Supra-púbica)

    • Afastador Balfour

    • Afastador Fenochietto

    • Afastador de Gosset

    • Afastador de Weitlaner

    • Cubas

    • Pontas de Aspirador

    • Compressas

    • Gazes

 

 

PARTE 1 - DEMONSTRAÇÃO DE INSTRUMENTAL OPERATÓRIO

 

Reconhecimento de materiais, manuseio e cuidados na prevenção de acidentes.

 

OBS.: NEM TODOS OS MATERIAIS ABAIXO SERÃO DEMONSTRADOS NA AULA PRÁTICA, DEPENDENDO DA DISPONIBILIDADE DOS MESMOS NO DIA DA ATIVIDADE . AQUI ENCONTRAM-SE LISTADAS AQUELES CONSIDERADOS ESSENCIAIS PARA DOMÍNIO DO ALUNO. TODAVIA, É IMPORTANTE QUE POUCO A POUCO, O ALUNO EM SUAS VIVENCIAS DE SALA DE CIRURGIA / BLOCO CIRÚRGICO, VÁ CONHECENDO E SE FAMILIARIZANDO COM TODOS OS INSTRUMENTAIS ABAIXO, ASSIM COMO COM OUTROS, UTILIZADOS EM PROCEDIMENTOS ESPECÍFICOS (VÍDEO LAPAROSCOPIA, CIRURGIA DE TÓRAX, CIRURGIA VASCULAR, ETC.).

 

MATERIAIS DE DIERESE E SÍNTESE

  • ​Cabo e lâmina de bisturí

  • Tesoura Metzenbaum

  • Tesoura Reta (“de fio”) e/ ou Tesoura de Mayo

  • Tesoura Iris

  • Tesoura Spencer

  • Tesoura Lister

  • Pinça de Cushing sem dente (Anatômica)

  • Pinça de Cushing com dente (Dente de rato)

  • Pinça de Hadson sem dente

  • Pinça de Hadson com dente

  • Porta Agulha de Mayo-Hegar

 

MATERIAIS DE HEMOSTASIA & PREENSÃO/TRAÇÃO

  • Pinça Kelly

  • Pinça Kelly reta

  • Pinça Crile

  • Pinça Moynihan

  • Pinça Longette

  • Pinça Mixter

  • Pinça Rochester

  • Pinça Halsted Curvo (Mosquito)

  • Pinça Halsted Reto (Reparo)

  • Clamps Vasculares / Bulldog (Dieffenbach)

  • Pinça Babycock

  • Pinça Allis

  • Pinça Collin Oval e Coração

  • Pinça Foerster

  • Pinça Duval

  • Clamp Intestinal

  • Pinça Kocher

  • Pinça Backhaus

  • Pinça Cheron

 

AFASTADORES DINÂMICOS:

  • Afastador de Farabeuf

  • Afastador de Doyen

  • Afastador de Volkman

  • Afastador de Deaver

  • Lâmina Maleável

  • Afastador Supra-púbico (Válvula Supra-púbica)

 

AFASTADORES ESTÁTICOS:

  • Afastador Balfour

  • Afastador Fenochietto

  • Afastador de Gosset

  • Afastador de Weitlaner

 

MATERIAIS ESPECIAIS

  • Manoplas

  • Tubo de aspiração

  • Pnta de aspirador

  • Cabo de eletrocautério

  • Caneta de eletrocautério

  • Cuba rim

  • Cuba pequena

  • Compressas

  • Gazes soltas

  • Gazes montadas

  • Fio de sutura agulhado

  • Fio de sutura sem agulha

  • Cubas

  • Pontas de Aspirador

  • Compressas

  • Gazes

 

 

PARTE 2 - TÉCNICA DE SUTURA: PONTO SIMPLES

 

A síntese não é a mais importante das três fases fundamentais de um procedimento cirúrgico, na medida em que diérese, hemostasia e síntese compõem uma tríade indivisível. Estes três pilares da arte de operar devem ser estudados e desenvolvidos em conjunto, uma vez que se completam, na constante busca do cirurgião em promover a cura com o trabalho das mãos. Lembre-se de que cirurgia provém do grego cheir (mão) e ergon (trabalho). Embora estes três fundamentos sejam utilizados em conjunto durante uma cirurgia, por razões impostas pela didática, temos que nos deter nestes assuntos separadamente, razão pela qual são feitas estas considerações para abordar a síntese isoladamente. A síntese cirúrgica talvez seja o fundamento que exija maior análise para ser executado, possivelmente por acumular maior acervo de variáveis que devem ser consideradas, dada a diversidade de instrumentos, fios cirúrgicos, padrões ou tipos de tecidos.

 

NORMAS TÉCNICAS ELEMENTARES:

 

  • Observar distância regular e segura de entrada e saída da agulha em relação às bordas da ferida.

  • Distribuir os pontos com espaçamento uniforme.

  • Manter a regular perpendicularidade ou paralelismo do trajeto da agulha em relação ao eixo da ferida (quando for o caso).

  • Evitar a confecção de nós sobre a linha de cicatrização.

  • Nos terminais de sutura, cortar o fio a uma distância segura dos nós.

  • Escolher corretamente os fios, calibres e o tipo (padrão) de sutura, de acordo com os tecidos ou órgãos a serem suturados.

  • Na confecção dos nós, tracionar os terminais apenas o suficiente para a adequada aproximação das bordas da ferida, evitando isquemia e deiscência

 

As suturas por pontos separados são, de uma maneira geral, mais seguras que as suturas por pontos contínuos, porque se um ponto for rompido os remanescentes manterão aproximadas as bordas da ferida. A ruptura de um único ponto numa sutura contínua quase sempre é sinônimo de deiscência da ferida.

 

PONTO SIMPLES:

 

Sutura de emprego cosmopolita, podendo ser utilizada em suturas de pele, fáscias, músculos, paredes de órgãos etc. É recomendável a lateralização dos nós, evitando-se deixá-los sobre a linha de cicatrização.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

NÓS CIRÚRGICOS:

 

É o entrelaçamento feito entre as extremidades do fio a fim de uni-las e fixá-las, com o objetivo de:

 

  • Garantir hemostasia

  • Fazer união entre duas bordas

  • Garantir cicatrização

 

Minimamente, realizamos três nós consecutivos, assim chamados:

 

  • Nó de contenção

  • Contra-nó de fixação

  • Nó de segurança

 

 

Tipos de nós para o aluno de graduação:

 

  • DOMINAR O USO DO NÓ COM O PORTA-AGULHAS

  • DOMINAR AS TÉCNICAS DE NÓ MANUAL (NÓ DE PAUCHET, NÓ DE SAPATEIRO E NÓ DE CIRURGIÃO)

 

 

OUTROS VÍDEOS RELACIONADAS A ESTA ESTAÇÃO:

Identificação de Instrumentos Cirúrgicos

Duração: 5:42 min

Vídeo mostrando ilustrações fotográficas dos principais instrumentos operatórios utilizados comumente em cirurgia geral.

Uso do instrumental de sutura e técnica de nós com o uso do porta-agulha

Duração: 5:14 min

Vídeo em ingês

Este vídeo tutorial demonstra o manuseio correto do material cirúrgico para a realização de suturas. A maneira de empunhar o porta-agulha e posicionar a agulhade sutura no mesmo. Explica ainda a técnica de só cirúrgico com o uso do instrumento.

Técnica de Sutura separada com Pontos Simples

Duração: 1:22min

Vídeo em inglês

Vídeo tutorial demonstrando técnica de realização de sutura separada com o uso do ponto simples. Trata-se do tipo de sutura mais utilizada para fechamento de ferimentos em geral visando cicatrização por primeira intenção.

Nós cirúrgicos manuais

Duração: 5:13 min

Vídeo em português

Tutorial de nós cirúrgicos criado pelos alunos do curso de medicina da UFMT. Nele são mostrados vários exemplos de nós. Na fase de graduação, lembramos que os nós exigidos para o aluno serão o nó de sapateiro e o no de Pauchet, incluindo suas variações duplas chamado nó de cirurgião.

Please reload

Para saber mais:

Assista aos vídeos "Instrumental Cirúrgico: Reconhecimento de Materiais - Parte 1" e "Instrumental Cirúrgico: Reconhecimento de Materiais - Parte 2" na sessão Vídeos - Aulas do periop. Faça download também da apresentação de slides em PDF da aula "EVOLUÇÃO DA CIR MODERNA & PRINCÍPIOS DE TÉCNICA ASSÉPTICA, MATERIAL E AMBIENTE CIRURGICO", na sessão Download de Aulas

 

 

© copyright 2014 | Alberto Bicudo Salomao 

Todos os direitos reservados

SUBIR