Re-alimentação precoce com dieta oral de baixo teor de resíduos é superior a dieta com líquidos claros após cirurgia eletiva colorretal: estudo randomizado controlado

 

Ann Surg. 2014; 260: 641-647

 

 

 

 

Periop. 24 de Fevereiro de 2015.

 

 

Resumo Estudo

 

Para determinar o efeito da alimentação precoce com dieta de baixo teor de resíduos na recuperação pós-operatória após a cirurgia colorretal, os autores realizaram um estudo randomizado controlado. Os pacientes foram distribuídos aleatoriamente: 54 receberam dieta com líquidos claros no primeiro dia de pós-operatório e 50 dieta de com baixo teor de resíduos. O desfecho primário foi vomito no segundo PO, que ocorreu em 28% dos pacientes  no grupo líquidos claros vs 14% dos pacientes com dieta pobre em resíduos (P=0,09). Outras variáveis ​​medidas, tais como a pontuação média de náuseas, foram menores no grupo com dieta pobre em resíduos (P=0,01), assim como o tempo de permanência (5 vs sete dias, P=0,01). A freqüência de complicações pós-operatórias (28% vs 44%) foi um pouco menor no grupo de baixo resíduo (P=0,08).

 

 

Ponto de vista

 

Durante décadas, os cirurgiões estavam relutantes em fornecer alimentos sólidos para pacientes submetidos à cirurgia gastrointestinal antes que se houvessem "provas" de que o trato digestivo estivesse funcionando, fundamentalmente evidenciado pela passagem de flatos. Agora, mesmo com o acúmulo crescente de evidências favoráveis aos protocolos "fast-track" (multimodais), que incluem entre suas rotinas a re-alimentação precoce no PO, para muitos pacientes ainda não são oferecidos alimentos sólidos nas primeiras 24-48h após a operação. Este estudo randomizado fornece mais uma evidência de que a maioria dos pacientes tolera alimentos sólidos logo após a cirurgia abdominal, levando a um período de recuperação mais curto, sem qualquer aumento de complicações.

 

Ann Surg. 2014; 260: 641-647 

Abstract

© copyright 2014 | Alberto Bicudo Salomao 

Todos os direitos reservados

SUBIR