Quando solicitar doppler cervical venoso ?

Importância no pré-operatório ?

 

 

Plataforma de pesquisa: 

 

Medline, via PubMed, National / Center for Biotechnology Information, NCBI / National Library of Medicine. MeSH.

 

 

 

Período de Busca:

 

Últimos 15 anos (1999-2014)

 

 

 

Palavras chaves para busca e referências encontradas:

 

 

Revisão Sistemática mais recente sobre o assunto:

 

Potential involvement of the extracranial venous system in central nervous system disorders and aging. Zivadinov and Chung BMC Medicine 2013, 11:260

 

 

 

Conclusão:

 

Em revisão da literatura dos últimos 10 anos, não foram encontrados estudos que determinem evidências para a utilização rotineira da ultrassonografia com Doppler para avaliação de vasos cervicais como método de triagem. As indicações gerais mais comuns do referido exame demonstram ser a investigação de pacientes portadores de  Síndrome de Compressão da Veia Cava Superior e/ou a presença ao exame físico de Sopro Cervical Contínuo, com suspeita de fístula artério-venosa.

 

Há ainda, diversos estudos recentes investigando o papel desse exame em pacientes portadores de esclerose múltipla- nestes, anormalidades no fluxo da veia jugular interna podem indicar Insuficiência venosa cérebro-espinhal crônica (CCSVI), termo usado para descrever o fluxo de sangue comprometido nas veias de drenagem do sistema nervoso central. Não obstante, os estudos avaliados apontam que o valor diagnóstico da US com Doppler mesmo nesses casos parece ser limitado, quando comparado ao método padrão de pesquisa dessa anormalidade, a venografia por cateter (Phlebology, 2013;28:285-92).

 

Há discrepância na prevalência de anormalidades venosas extracranianas (cervicais) de acordo com o método de estudo empregado, usando técnicas de investigação invasivas e não-invasivas. Têm-se preconizado a necessidade de uma abordagem multimodal por imagens afim de melhor entender essas alterações. De modo geral, a prevalência de alterações anatômicas e variabilidades de fluxo a este nível é sempre alta quando se utilizam de técnicas invasivas sofisticadas de imagem para investigação. A literatura ressalta a necessidade de estudos desses achados correlacionando pacientes sadios e doentes, afim de melhor elucidar critérios de variação da normalidade de critérios patológicos.  

 

Em suma, estudos adicionais são necessários para definir o papel de alterações ao nível da circulação venosa cerebral enquanto causa ou conseqüência de doenças cerebrovasculares e/ou alterações decorrentes da idade. De modo análogo, quando do achado de eventuais alterações a este nível, o uso de métodos de tratamento endovascular tem sido desencorajado, ponderando os seus potenciais benefícios, segundo o resultados de estudos prospectivos randomizados mais recentes.

 

 

 

Recomendação:

 

Salvo indicações clínicas precisas e com finalidades bem determinadas, não há benefício no uso rotineiro isoladamente ou em complementação ao estudo de vasos arteriais, da Ultrassonografia com Doppler Venoso Cervical. 

 

 

 

© copyright 2014 | Alberto Bicudo Salomao 

Todos os direitos reservados

SUBIR